Uma semana inteira de Ciência

As ações da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia têm o objetivo de mobilizar a população, em especial os jovens, para atividades científico-tecnológicas

Levar o conhecimento à população de que muitas das soluções do dia a dia são fruto da ciência não tem sido uma missão simples. Para ajudar nesse desafio acontece anualmente uma série de atividades que, de alguma maneira, traz a ciência para o centro das atenções.


A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) é uma destas estratégias. Ação do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC) a SNCT está em sua 16ª edição e ocorre todo mês de outubro, considerado o Mês das Ciências no Brasil. Com atividades coordenadas pelo Ministério, as ações têm o objetivo de mobilizar a população, em especial os jovens, para atividades científico-tecnológicas.


A partir da edição de 2019, a Semana também trouxe o caráter da popularização da ciência como foco. O ministro do MCTIC, Marcos Pontes, defendeu à EBC que o papel da Semana é desmistificar a ciência como “algo relacionado a um pesquisador de jaleco branco que ninguém entende e não dialoga com as pessoas”.


Com a colaboração de instituições públicas e privadas, universidades, museus, fundações de amparo à pesquisa, parques ambientais, jardins botânicos e zoológicos, secretarias estaduais e municipais, a SNCT tem realizado diversas atividades como palestras, entrevistas, experimentos, que fomentem desenvolvimento social e apresentem o impacto da pesquisa científica no dia a dia dos brasileiros.


O Instituto Federal do Piauí, campus Corrente, por exemplo, realizou experimentos científicos de Física, Química e Biologia através dos estudantes do Ensino Médio e do curso de Licenciatura em Física durante a Semana. Além disso, produziram mostra de projetos científicos que concorreram a uma bolsa de iniciação científica júnior.


Em cada estado, como no Piauí, as atividades têm acontecido através de parceiros locais que orientam na realização da SNCT em suas respectivas cidades. Com participação ativa de governos estaduais e municipais, de instituições de ensino e pesquisa, e de entidades ligadas à Ciência e Tecnologia de cada região, o evento tem tomado proporções cada vez maiores.

Popularização é um dos temas fortes da SNCT. (Foto: Francicleiton Cardoso)

SNCT 2019

Neste ano, a Semana Nacional trouxe como tema “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável” que teve como motivação para escolha a busca pelo desenvolvimento sustentável no Brasil, representada pela bioeconomia e sua relação com a Agenda 2030, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU).


A Bioeconomia possui relação direta com 10 dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e é o resultado de inovações na área das Ciências Biológicas. Seu desenvolvimento e o uso de produtos e processos biológicos nas áreas da Biotecnologia Industrial modificam e capacitam o conhecimento em saúde humana, produtividade agrícola e pecuária, por exemplo.


O tema deste ano busca interagir com aspectos fundamentais da sobrevivência humana, a exemplo do desenvolvimento de sistemas produtivos sustentáveis e circulares que garantam, de forma integrada, segurança hídrica, energética e alimentar.


Com foco em reduzir ou mesmo reverter os impactos ambientais, a Bioeconomia apresenta ações significativas no meio econômico e social, além de ajudar na preservação e uso sustentável de riquezas imprescindíveis para o país, sua biodiversidade e utilização sustentável.


A exemplo disso, está a aplicação da chamada Biotecnologia Industrial, responsável pelo desenvolvimento de biocombustíveis, químicos de fontes renováveis e bioplásticos. De acordo com informações do MCTIC, estima-se que em 2030 o mercado global, referente ao uso de tecnologias nessa área alcance um volume de 300 bilhões de Euros, o que, em dias atuais, representam cerca de R$ 133 bilhões.

Mostra de ciência instiga curiosidade de jovens. (Foto: Francicleiton Cardoso)

SNCT NO PIAUÍ

No Piauí, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapepi), viabilizou recursos para a realização de eventos durante a SNCT 2019. Instituições públicas em cinco diferentes regiões do Piauí foram contempladas pelo edital nº 004/2019, que concedeu auxílio financeiro aos pesquisadores do Piauí de educação básica ou superior. Os pesquisadores realizaram atividades em suas respectivas cidades: Floriano, Piripiri, São João do Piauí, Corrente e na Zona Sul de Teresina.


“É muito importante que haja cada vez mais atividades que possam de alguma maneira aproximar a população da ciência e do fazer científico. Afinal, é com essa aproximação que podemos mostrar o quanto a ciência é importante para todos nós. E este edital contribui com isso”, afirma o professor Antônio Amaral, presidente da Fapepi.


Alunos das cinco instituições contempladas realizaram atividades e experimentos científicos, também oficinas e palestras sobre a produção científica em cada um dos eventos.

O edital, contemplado com recursos financeiros do Tesouro Estadual para as propostas aprovadas, teve valor global de R$ 40 mil exclusivos para eventos científicos.


Além destes eventos, várias outras atividades foram realizadas no Piauí através do edital CNPq do Programa Especial de Difusão e Popularização da Ciência e Tecnologia, que destina recursos para apoiar a realização da semana nos estados e municípios.


DIA C DA CIÊNCIA

No último dia 23 de outubro, como parte integrante da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), aconteceu o Dia C da Ciência no Piauí.


O evento foi uma iniciativa das Universidades Federal e Estadual do Piauí (UFPI e UESPI), do Instituto Federal do Piauí (IFPI), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e contaram com o apoio da Fapepi.


O Dia C da Ciência é uma iniciativa que teve o intuito de popularizar a ciência no estado e contou com a apresentação de diversas pesquisas. Alunos de diversas instituições participaram apresentando seus trabalhos.


Além disso, mostras de projetos e observações astronômicas rechearam a programação. Alexandre dos Anjos, da startup EcoDry Tec, acelerada pela Fapepi, apresentou durante o Dia C o resultado de suas pesquisas em desidratação de alimentos.


“Este é um momento especial para todos nós, já que podemos compartilhar aqui as descobertas, as tecnologias e tudo mais que pode ser usado para melhorar nosso cotidiano”, afirma Alexandre.

Posts recentes

Ver tudo